sexta-feira, agosto 11, 2006

SE DÊ CONTA 2006



SE DÊ CONTA 2006 - TERCEIRA SEMANA DE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE TRANSTORNOS ALIMENTARES

Segundo estimativas, uma em cada 150 brasileiras sofre de bulimia e anorexia. Mas as pesquisas apontam que até 10% das mulheres jovens apresentam sintomas de algum tipo de transtorno alimentarVocê conta calorias de tudo? Tenta dietas constantemente para chegar no peso “ideal”? Sobe na balança com freqüência? Morre de culpa quando come chocolates? Fica incomodada quando olha no espelho? Caso responda sim para alguma dessas perguntas, cuidado. Isso pode ser um sinal de que você apresenta obsessão por um padrão único de beleza. Essa busca obcecada por dietas não causa só sofrimento para muitas pessoas. Leva também aos chamados transtornos alimentares – doenças psiquiátricas cada vez mais comuns (sobretudo entre jovens) e que são consideradas quase uma epidemia.Para alertar a população sobre os transtornos alimentares - sobretudo as mulheres - será realizada 3a Semana de Semana de Conscientização sobre Transtornos Alimentares – SE DÊ CONTA. Entre os dias 24 e 30 de setembro, serão discutidos em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte temas como “ditadura da beleza” e “obrigatoriedade das dietas”. Consagrado em países como Estados Unidos e Canadá, o evento pela primeira vez ocorrerá simultaneamente em três capitais brasileiras.Os objetivos da SE DÊ CONTA são discutir padrões de beleza, informar sobre dietas e preocupações com peso, desfazer mitos difundidos e promover a aceitação corporal.Em nossa cultura, a magreza passou a ter outros significados, como controle sobre a vida e sobre si mesmo. Possuir um tamanho corporal acima do socialmente aceitável é associado à fraqueza, ao descontrole e à culpa.“A campanha esclarece que cada um de nós tem predisposição genética para um certo peso, forma e tamanho. Infelizmente, nossa cultura restringe o conceito de belo, fazendo com que quem não se encaixa nestes padrões rígidos seja discriminado”, explica a nutricionista.A SE DÊ CONTA é organizada por profissionais de saúde e comunicação do GENTA (Grupo de Estudos em Nutrição e Transtornos Alimentares), de São Paulo, e do NUTTRA (Núcleo de Transtornos Alimentares e Obesidade), do Rio de Janeiro. Em São Paulo neste ano de 2006 também haverá a participação do GATDA – Grupo de Apoio e Tratamento dos Distúrbios Alimentares. Em Belo Horizonte participam os profissionais do GOTA (Grupo Interdisciplinar de Obesidade e Transtornos Alimentares) do Hospital SOCOR. O evento tem o apoio de entidades como a APAN (Associação Paulista de Nutrição) Sinesp (Sindicato dos Nutricionistas de São Paulo) e patrocínio da Universidade Metodista de São Paulo.Durante a semana serão promovidas palestras públicas e debates com adolescentes, estudantes da área de saúde, freqüentadores de academias e pais de estudantes. No domingo, os organizadores sairão às ruas para distribuir materiais informativos sobre Transtornos Alimentares e alimentação saudável.
As atividades abertas ao público serão em breve divulgadas.Informações e entrevistas:
Rio de Janeirowww.nuttra.medem.com

Um comentário:

Alexandre Tróia disse...

Minhas felicitações a todas vocês, verdadeiras combatentes de um mal infelizmente muito prestigiado pela midia: a assustadora magreza de nossas meninas.

Aliás, prefiro acreditar, que este culto ao baixo IMC decorra da mais absoluta ignorância do quão grave é o transtorno alimentar.

A nossa sociedade padece de mais informações a respeito desta séria doença cultuada pelo distorcido padrão de beleza, que pode até levar a óbito jovens que almejam um corpo de "Barbie".

Somente com uma iniciativa como a de vocês é que poderemos aprender um pouco mais a respeito deste mal.